quarta-feira, maio 27, 2009

Recordando Nouvelle Cuisine

Em 1987, na cidade de São Paulo, um grupo de amigos, todos com sólida formação musical, costumava reunir-se, nas tardes de sábado, para fazer o que mais gostavam: tocar Jazz.

Numa altura em que a moda era o rock eles não tinham qualquer pretensão em profissionalizar-se tocando standards de jazz.

Contudo, resolveram testar a sua aceitação pelo público e conseguiram marcar uma apresentação numa segunda-feira de Inverno, num pequeno bar de São Paulo, chamado “Espaço OFF”.

Só nessa altura resolveram baptizar o grupo, dando-lhe o nome de Nouvelle Cuisine.




A repercussão desta sua primeira apresentação foi tal que, na segunda-feira seguinte, o pequeno bar estava repleto de críticos e de produtores musicais.

Poucos dias depois estavam a assinar um contrato com a Warner e a editar o primeiro disco, com a ajuda de um maestro vindo de Los Angeles de propósito para trabalhar com eles.

O disco chamado apenas “Nouvelle Cuisine” foi recebido entusiasticamente pela crítica e foi, no escasso mercado de jazz, um verdadeiro sucesso de vendas.




O reconhecimento da sua excepcional qualidade permitiu que a editora aceitasse para o segundo disco, que se veio a chamar “Slow Food”, a introdução de canções em português, novas sonoridades e mesmo o acompanhamento de uma orquestra sinfónica.

Permitiu-lhes igualmente ter a colaboração de Gal Costa (numa canção chamada Notas) e de Caetano Veloso que compôs para eles a canção Luzes.



Ao assistir a uma das suas apresentações, o grande trompetista Wynton Marsalis considerou-os o melhor grupo de jazz fora dos Estados Unidos e juntou-se a eles para uma jam session, que considerou inesquicivel.

O prestigio e sucesso dos Nouvelle Cuisine foram-se mantendo, essencialmente no círculo restrito do jazz e da critica, Contudo, a sua notoriedade no público em geral viria a acontecer de forma algo imprevista em 1988.

Numa noite, no auditório do MASP (o principal museu de São Paulo,) os Nouvelle Cuisine, para surpresa do público, levaram uma jovem desconhecida para cantar em dueto com o vocalista Carlos Fernando Nogueira. A canção era “Bess you is my woman now” da Ópera Porgy and Bess.

A moça era linda, tinha uma voz belíssima e pouco depois viria a gravar o seu primeiro disco em 1989, onde esta colaboração com os Nouvelle Cuisine não ficou esquecida. Chama-se a moça Marisa Monte

Deixo aqui o vídeo desse trabalho conjunto sobre o tema de Gershwin esperando que gostem tanto dele, quanto eu!



Actualmente, após a saída de dois dos seus elementos fundadadores, entre os quais Carlos Fernando Nogueira, o Nouvelle Cuisine transformou-se em Nouvelle.

Carlos Fernando iniciou uma carreira a solo, tendo editado um CD (1994) em parceria com o músico Toninho Horta sobre canções de Chico Buarque




Hoje os Nouvelle têm como vocalista a cantora Estela Cassilati e continuam a ser uma referência de qualidade, embora tal como antes para um público minoritário.




Vale a pena conhecer os antigos Nouvelle Cuisine, que em 1992 foram considerados o melhor grupo de MPB, e os actuais Nouvelle, que infelizmente estão pouco presentes nas nossas lojas e, pior ainda, completamente ausentes das nossas rádios.

13 comentários:

  1. Meu querido amigo
    Confesso que em conhecimentos de Jazz sou uma perfeita nulidade!
    Por tal motivo...os Nouvelle Cuisine, tal como os actuais Cuisine, (só, sem Nouvelle) são-me totalmente desconhecidos.
    Outro tanto não digo de Mariza Monte, de quem tenho várias músicas gravadas, e de quem gosto bastante.
    Gostei imenso do vídeo e da actuação de Mariza.

    Um final de dia bom.

    Beijinho muito amigo
    Mariazita

    ResponderEliminar
  2. Amigo Com Senso,
    É sempre com verdadeiro prazer que visito o seu excelente Blog.
    Apesar de desde muito criança gostar de ouvir música, principalmente na rádio (o que ainda hoje aprecio) e a respeito de “Jazz” não perder os programas de Luís Villas Boas e a divulgação que fazia dos festivais de Cascais e não só, além de admirar os clássicos, não conhecia os Nouvelle Cuisine, que através do excelente vídeo que colocou pude apreciar e irei ouvir com mais atenção!
    Quero agradecer-lhe, mais uma vez, o ter trazido para nosso conhecimento este Grupo, que em Portugal, não terá tido a divulgação que merecia!
    Como já mostrou noutros casos, neste nosso país continua a destacar-se o que nem sempre tem interesse (seja em que área for) em detrimento dos verdadeiros talentos.
    Muito grata por mais esta partilha.
    Um beijinho, com amizade.

    P.S. Muito obrigada pela visita e palavras deixadas no meu cantinho.

    ResponderEliminar
  3. Desconhecia este grupo. Quanto ao video apenas lhe posso dizer que tenho o CD com esta canção, cantada por Ella Fitzgerald e Louis Armstrong, com uma beleza interpretativa única.
    Desejo-lhe uma boa semana!

    ResponderEliminar
  4. O “Lírios” assinala o Dia Mundial da Criança.
    Queres ir conferir?
    Um dia feliz.

    Beijinhos
    Mariazita

    ResponderEliminar
  5. Muito interessante o seu comentário a Anita.
    Acontece muitas vezes termos conhecimento de coisas na vida de certas pessoas que nos custa a crer serem verdadeiras...
    Muito obrigada.

    Uma noite feliz

    Beijinho amigo
    Mariazita

    ResponderEliminar
  6. Leio-te sempre com muito gosto e saio daqui muito mais rica do que quando entrei. É sempre assim contigo.

    Bem-hajas!

    Beijinhos


    p.s. O Mar Maria morreu mas o Cata-Vento continua a girar.

    ResponderEliminar
  7. Caro com senso
    Nem outra coisa seria de esperar, estando em causa a mulher.
    E Deus tinha que defender a sua invenção, fosse lá como fosse :)))

    Um abraço fraterno
    Botinhas

    PS - QUANDO PUDER VENHO TE LER E COMENTAR. ENCONTRO-ME LONGÍSSIMO DE CASA, SEM TEMPO PARA NADA.

    ResponderEliminar
  8. Tens uma lembrancinha na Casa da Mariquinhas.
    Queres ir buscar?

    Feliz Domingo

    Beijinhos
    Mariazita

    ResponderEliminar
  9. gostei bastante da sonoridade, da interprete, da voz masculina, faz a minha praia.
    lá vou eu à caça dos mp3's...

    NAUMON

    ResponderEliminar
  10. Rapaz, que surpresa! Sou fã e freguês do antigo Nouvelle Cuisine. Considero um dos melhores grupos de jazz moderno do mundo. Suas interpretações de antigos standarts jazzísticos - especialmente as baladas - são únicas, pernonalíssimas. Além do mais, como você escreveu, são instrumentistas virtuosos. Foi uma pena que se desfez a formação original.
    Um abraço!

    ResponderEliminar
  11. Amigo,
    Passo para lhe desejar um Bom Domingo.
    Vou estar ausente por uns tempos para, se Deus assim o permitir, descansar um pouco.
    Peço a Deus que o ajude na sua nobre missão junto de seus Pais.
    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  12. Olá
    Acabei de encontrá-lo em um momento em que ouço pela rádio eldorado o programa de Mônica Palumo e o convidado dessa noite é o grupo Novelle. Tratei de procurar referências na net e achei vc.
    Eles farão show no auditório Ibirapuera, no próximo final de semana.
    bjs

    ResponderEliminar