segunda-feira, junho 23, 2008

Destino incerto



Em 2002 desapareceram em Portugal 734 pessoas com menos de 30 anos e só de 260 é que se veio a conhecer o seu paradeiro.


O número é assustador, muito embora se saiba que, no que se refere a jovens adultos, o desaparecimento resulta muitas vezes de vontade própria, devido a divergências familiares.

Seja como fôr, a verdade é que os desaparecimentos vão continuando e, se é certo que, no que se refere a crianças, a maior parte dos casos registados tem que ver com disputas do poder paternal, mais do que com crimes pedófilos, a verdade é que há inúmeros casos por resolver e sobre os quais se tem que temer o pior, não sendo demais os esforços para combater o crime e os criminosos.




Quando se consulta a página de pessoas desaparecidas da Polícia Judiciária, fica-se entretanto com a ideia de que há um número anormalmente elevado de pessoas idosas cujo paradeiro é desconhecido.

Nestes casos, a maior parte das situações ocorrerá devido a problemas psíquicos e acabam por ser resolvidos, mas o certo é que subsistem sempre bastantes ocorrências em que essas pessoas não mais são encontradas, o que para mim é fonte de enorme perplexidade!

Sem querer especular com um assunto que me parece tão grave e melindroso, realço apenas que há a necessidade premente e permanente de não deixar esquecidos esses casos.

Tanto os das crianças, que são normalmente foco de atenção de toda a comunicação social, como os dos mais velhos que tendem a ficar na obscuridade.

Por isso e como ultimo post antes de férias, resolvo recolocar o tema dos desaparecimentos acrescentando mais alguns aos que referi já no mês transacto.
Para mais informações consultar a página da Polícia judiciária em http://www.pj.pt/htm/pessoas.htm

Pamela Matias Santos, desaparecida aos 16 anos em 23 de Setembro de 2007


Sara Raquel Pinho Reis, desaparecida com 16 anos em 7 de Março de 2007



Luís Tavares Neves, desaparecido aos 88 anos em 26 de Janeiro de 2007


Maria Isaura Ferrreira, desaparecida com 73 anos em 8 de Novembro de 2006



Luís Manuel Carrapato, desaparecido aos 81 anos em 3 de Abril de 2008



José Fernandes, desaparecido aos 90 anos em 19 de Agosto de 2007



João da Encarnação Tomé, desaparecido aos 70 anos em 17 de Março de 2007



Gerda Charlotte Danielowski desaparecida aos 74 anos em 18 de Julho de 2007


Mais jovens e mais velhos, são de facto os mais vulneráveis e embora este contributo possa ser muito modesto e inócuo, não quis deixar de marcar novamente presença neste espaço com este tema.

Deixo-vos com ele e com um abraço a todos os amigos e amigas que visitam regularmente este espaço e….Até ao final de Julho.

Boas férias para todos e votos de coragem e sorte para todas as famílias que neste momento vivem a angústia de um ente querido desaparecido
.

14 comentários:

  1. Premente apelo para que todos nos sensibilizemos com este problema, que é muitíssimo mais vasto do que a mediatização do caso "Maddie" pode fazer supor; para pensar e reflectir...
    Boas férias.

    ResponderEliminar
  2. Situações, dramas de vida que arrepiam por não serem ficção.


    Até ao final de Julho...acho injusto, lol!!!

    ResponderEliminar
  3. Que posso dizer?... Solidariedade com quem sofre? Não chega, eu sei!
    Ajudar? No que poder, conte comigo...
    Abraço.

    ResponderEliminar
  4. Salvé!

    Urgente post e bem apropriado. Convém não esquecer que pessoas há deixam os seus idosos sózinhos em casa e, por um motivo qualquer depois perdem-se, ao sair de casa. Consta que muitos desses familiares sentem alívio nisso... atendendo que também os deixam nos hospitais, eternamente á espera que os vão buscar, depois de os médicos lhes terem dado alta!...e estes passam então depois, como se fossem a família de verdade! - como dum conto de ficção se tratasse!

    Férias felizes...quem me dera poder ir também...mas tenho 14 animais para tratar - e não tenho quem me tome conta deles. Se os deixasse entregues á sua sorte...o que seria deles também?

    Mariz

    Fico a aguardar de novo a sua visita.

    ResponderEliminar
  5. Sabe, Estimado e brilhante amigo:
    O seu Post vale pela imensa oportunidade, atitude deslumbrante e repleta de sensatez.
    Sabe o que penso?
    Não resistiria a uma situação destas.
    A conduta imprópria e indigna de homens com fins obscuros, desaprovadores e desconhecidos, em que ninguém faz por terminar.
    Não sei, mas penso que entre os desaparecidos, raramente surge o aparecimento de quem quer que seja.
    Um Post muito pertinente, oportuno e repleto de interesse para um mundo melhor, mais atento e compreensivo para com as razões de incompreensão pura de todos nós para com as pessoas desaparecidas.
    Só jovens com destinos duvidosos e cobardes até ao desaparecimento de idosos desencantados, frágeis e indefesos.
    A cobardia e malvadez de algumas pessoas indigna-me e revolta-me.
    Que passará pela cabeça desses seres iníquos e indignos?
    Excelente, amigo.
    Um alerta importantissimo de valor imenso.
    Adorei!

    Abraço amigo de estima e imenso respeito. Tem um valor humano desmedido por ser GIGANTE.

    pena

    ResponderEliminar
  6. Muito importante a tua chamada de atenção.
    Excelente post antes de férias, para nos deixares a pensar, enquanto descansas:))
    Boas férias!

    ResponderEliminar
  7. É na verdade muito perturbador este assunto. O mistério dos desaparecimentos deve ser terrível também, para os familiares e amigos. Vidas tão difíceis e dolorosas! M.Júlia

    ResponderEliminar
  8. Belo contributo para um problema candente e assustador perante os números qie indicam que perto de 1/3 dos desaparecidos não são encontrados.

    Vim em férias suas, o que desconhecia, mas não quero deixar de lhe desejar um bom período de retemperador e certamente bem merecido descanso.
    Em finais de Julho será a minha vez.

    As melhores saudações de O Sino da Aldeia
    Jorge P.G.

    ResponderEliminar
  9. Vidas difíceis para ambas as partes.
    Uma boa iniciativa, pois nste periodo as pessoas andam mais tempo fora de casa,
    Boas férias

    ResponderEliminar
  10. Esta é uma ocorrência que sempre me intrigou. E o pior é que os desaparecimentos aumentam a cada dia.
    Triste e lamentável.
    Um beijo!

    ResponderEliminar
  11. Belo post.
    É verdade é preciso olhar para o problema com outro intuito e vontade.
    As crianças e adolescentes são os mais vulneráveis.
    Boas férias

    ResponderEliminar
  12. Paula Cardoso8:45 da tarde

    Os desaparecimentos provocam vazios que nunca mais se conseguem preencher.
    É das piores coisas que pode acontecer numa família.
    É sempre bom divulgar, quem sabe se a luz se faz.
    Um excelente blog! Parabéns!

    ResponderEliminar
  13. Concordo com o post, por inteiro.
    Boas e repousantes férias!

    ResponderEliminar
  14. Regressei de férias ontem, tarde da noite!!!
    Hoje venho apenas agradecer a visita ao meu blogue.
    Com calma, lenta mas seguramente… irei respondendo aos comentários, lá, na minha “casa”.
    Voltaremos a ver-nos em finais de Julho.
    Beijo carinhoso
    Mariazita
    PS - Boas férias, energizantes!

    ResponderEliminar